Como alcançar um solo em equilíbrio para a produção de grãos?

solo em equilíbrio

O equilíbrio do solo é um importante fator para determinar a qualidade e produtividade das lavouras agrícolas. Ao adotar técnicas que permitem alcançar um solo equilibrado, é possível atingir o correto desenvolvimento da lavoura e garantir o sucesso do plantio.

Segundo especialistas, o índice considerado ideal ou indicado para alcançar um alto patamar de produtividade é de um resultado de 4,2 mil quilos por hectare no caso de oleaginosas, o que equivale a pelo menos 70 sacos por hectare.

Promover o solo em equilíbrio ainda é uma difícil missão para muitos agricultores, mas com algumas dicas práticas é possível atingir esse objetivo. Continue a leitura e saiba mais!

Benefícios do solo em equilíbrio

Manter o solo em equilíbrio pode trazer importantes benefícios para sua lavoura. Confira os principais:

  • Grãos mais nutritivos: quando em equilíbrio, o solo retém os nutrientes essenciais para o crescimento das plantas, resultando em grãos mais saudáveis, nutritivos e com alto teor de proteínas.   
  • Presença de microrganismos benéficos: o solo equilibrado aumenta a presença de microrganismos responsáveis pela produção de matéria orgânica, um importante elemento para o desenvolvimento das plantas.
  • Menor risco de pragas e doenças: um solo em equilíbrio produz condições naturais para que as plantas se defendam com pouca ou nenhuma interferência de produtos químicos.
  • Balanço hídrico: o favorecimento do balanço hídrico ao alcançar o solo em equilíbrio é um importante aliado para a saúde e desenvolvimento saudável da lavoura.
  • Maior resistência: além do menor risco de pragas e doenças, o solo equilibrado permite que as plantas sejam mais resistentes, reduzindo riscos causados por mudanças climáticas.

5 dicas para promover um solo com maior equilíbrio

Ainda são poucos os agricultores que conseguiram atingir um nível de adubação equilibrada. Por isso, é importante se atentar para boas práticas que podem contribuir para alcançar o equilíbrio do solo. Confira as principais:

Análise química do solo

A análise química do solo permite avaliar a fertilidade do solo, informando os parâmetros associados à acidez, teor de matéria orgânica e disponibilidade de nutrientes. O ideal é que a análise seja realizada em até 40cm de profundidade. 

Os resultados servem como um guia para auxiliar o produtor a corrigir as deficiências do solo e, assim, promover um maior equilíbrio ao mesmo.

Reposição de cálcio e enxofre

A soja, especialmente, é uma cultura que retira grande quantidade de cálcio do solo. Para se ter uma ideia, a produção de uma tonelada do grão retira 17 quilos do nutriente. Para esta mesma lógica, por tonelada de grão, são extraídos 8,8 quilos de enxofre. 

Assim, é preciso buscar alternativas eficientes para a reposição dos nutrientes. O Calsite, nosso fertilizante inteligente à base de cálcio, fornece o  nutriente em alta concentração e maior solubilidade no perfil do solo, com ação imediata e liberação gradual.

Planejamento do plantio

Antes do plantio, é preciso ter o cuidado de fazer uma análise do solo para ter um melhor conhecimento sobre o que a cultura vai retirar do solo para uma determinada expectativa de produtividade.

Caso o solo não consiga fornecer todos os nutrientes necessários para uma cultura que tem uma genética de alta produção, corre-se o risco de não manifestar todo o seu potencial produtivo.

Conhecimento sobre o fenótipo da cultura

O fenótipo das plantas pode ser considerado a combinação entre o genótipo, ou seja, a genética, e o ambiente, sendo este fenótipo representado pela produtividade. 

Por isso, ter conhecimento sobre o fenótipo de cada cultura é fundamental para o aumento de produtividade, sobretudo, porque isso permite conhecer as necessidades do solo e melhorar suas condições para atingir o equilíbrio.

Ajustes no manejo do solo

Por fim, é importante realizar alguns ajustes no manejo do solo para alcançar seu equilíbrio. O ideal é conseguir ajustar alguns parâmetros como a nutrição, o fornecimento de água e o planejamento da semeadura com a época certa, espaçamento entre linhas, escolha correta da cultivar e densidade de plantas.

Quer continuar acompanhando nossos conteúdos? Siga-nos no Facebook e Instagram para ficar por dentro de todas as atualizações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros Artigos