Por estar localizado em uma zona de clima tropical, o Brasil possui solos ácidos que apresentam carência de nutrientes e alta concentração de elementos tóxicos como alumínio, ferro e manganês. Consequentemente, a baixa fertilidade do solo interfere diretamente no setor agrícola, que precisa recorrer a métodos corretivos, como o uso de calcário, para garantir a fertilização da lavoura.

Apesar de ser comumente usado em plantações de todas as regiões do país, o calcário nem sempre é a opção que resulta em maior produtividade ou que representa o melhor custo-benefício. Com a evolução da tecnologia no setor agrícola, foi possível desenvolver produtos que apresentam melhor eficiência e otimizam toda a cadeia produtiva, desde as taxas de fertilidade do solo até maior produtividade na colheita.

 

Benefícios da correção do solo

Antes de tudo, vale reforçar que a correção do solo é necessária para proporcionar nutrientes essenciais ao crescimento da lavoura, bem como anular a acidez e a ação de elementos tóxicos. Nesse sentido, a prática de correção do solo permite:

 

Calcário nem sempre é a melhor opção

O uso de calcário é uma das técnicas mais antigas para corrigir os problemas do solo brasileiro. Por meio da calagem é possível fornecer os nutrientes necessários e garantir boas condições para que a plantação se desenvolva de maneira saudável.

Trata-se de um método relativamente mais barato para o produtor, se comparado ao uso de fertilizantes mais modernos. Contudo, a baixa tecnologia empregada na fabricação de calcário faz com que o produto apresente algumas desvantagens, que em uma análise geral, pode não garantir o melhor custo-benefício.

Para que realmente apresente o efeito desejado, as doses variam conforme a fertilidade de cada solo classificadas pelo Índice SMP ou pela saturação de bases onde podem varias de 1 a 15 tons/há. Além da alta concentração necessária, é um produto que tem dificuldade para atingir as camadas mais profundas do solo, penetrando de forma demorada e em pequena escala. O calcário não atua durante todo o ciclo de vida de uma plantação.

É importante que ele seja aplicado antes do plantio, mas também deve ser utilizado em plantas adultas para fornecimento de nutrientes essenciais, como cálcio e magnésio. Ou seja, é preciso reaplicar o produto, gerando ainda mais gastos e trabalho para o agricultor.

 

Por que utilizar Fertilizantes TMF?

Os fertilizantes TMF contam com tecnologia exclusiva, desenvolvida para resolver os problemas de baixa fertilidade dos solos brasileiros. O Calsite e Isofértil, nossos principais produtos, possuem ação imediata para otimizar as condições de fertilização, garantindo plantas saudáveis e com raízes profundas.

A tecnologia dos fertilizantes TMF atua na modificação da estrutura molecular do cálcio  com a ação do óxido de silício, tornando-o disponível para as culturas na solução do solo. Atuando em conjunto com os fertilizantes tradicionais, proporciona a liberação e o aumento da concentração e solubilidade do fósforo, além diminuir a atividade do alumínio e melhorar o pH em profundidade.

Com uma qualidade excepcional, os fertilizantes possuem alta eficácia, sendo recomendados sempre a partir de uma análise de solo para melhor determinar as necessidades de cada tipo de solo. Além disso, nossos produtos penetram com muita rapidez no solo e ficam disponíveis durante todo o período de crescimento da planta.

 

Comparativo Calcário x Fertilizantes TMF

Para que você entenda melhor as vantagens dos fertilizantes TMF, separamos alguns benefícios que nossos produtos apresentam em relação ao calcário. Confira!

 

Como vimos, os fertilizantes TMF apresentam benefícios muito mais significativos em comparação com o uso do calcário. O conjunto dessas vantagens promovem a redução de custos e maior produtividade, garantindo uma colheita farta e maior lucratividade para o agricultor. Ficou interessado? Entre em contato conosco e solicite uma cotação sem compromisso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *