A importância do magnésio para os solos do cerrado

solos do cerrado

Os solos do cerrado são caracterizados por sua elevada acidez e deficiência de diversos tipos de nutrientes, dentre eles o magnésio (Mg). Este macronutriente desempenha importantes funções para o correto desenvolvimento das plantas e é fundamental para garantir uma lavoura produtiva, independente da cultura cultivada.

Devido à sua baixa concentração nos solos, é preciso buscar alternativas eficazes para aumentar a presença do nutriente no local de cultivo. Caso não haja correção adequada do solo, a ausência de magnésio pode limitar o rendimento tanto das culturas anuais quanto das culturas perenes.

Por que o magnésio é tão importante para as plantas?

O magnésio é considerado um elemento essencial ao crescimento das plantas. O nutriente desempenha uma relação direta com o processo de fotossíntese, sendo o átomo central da molécula de clorofila nas folhas verdes das plantas.

Por meio dessa função, o magnésio participa dos processos metabólicos como a formação de ATP, permitindo que a planta realize a fotossíntese de maneira adequada e satisfatória para seu pleno desenvolvimento.

O nutriente ainda participa de outras funções essenciais para a planta, como:

  • Atua na composição da clorofila;
  • Ativa enzimas;
  • Auxilia na fixação do gás carbônico;
  • Participa do metabolismo do nitrogênio;
  • Contribui para a síntese protéica;
  • Auxilia na absorção de fósforo.

Como realizar a análise do teor de Mg no solo?

A análise química do solo é a principal prática para avaliar a disponibilidade de magnésio no local de plantio. Nos solos do cerrado, o ideal é coletar a amostragem na camada de 0 a 20 cm de profundidade. Nesse tipo de solo, os teores de Mg devem ser iguais ou superiores a 0,5 cmol/dm³, tendo sua participação dentro da CTC do solo em torno de 12 a 18%.

Para a correção da quantidade de magnésio, é recomendado identificar a textura de cada tipo de solo e validar as informações com uma análise de solo para correta recomendação da quantidade ideal deste nutriente a ser aplicado em cada tipo de solo. sabe-se que para elevar 1cmol/dm3 no solo na camada de 0-20cm necessita-se de 230kg de Mg/ha. 

Conhecendo os sinais de deficiência de magnésio

A análise foliar é um excelente método para identificar a deficiência de magnésio após as primeiras fases de desenvolvimento da plantação. Como exemplo, os teores ideais de Mg nas folhas de soja, milho, algodão e cafeeiro são iguais ou superiores a 2,5; 2,0; 3,0 e 3,0; respectivamente.

Além da análise foliar, que fornece maior precisão sobre a deficiência de magnésio, a baixa presença do nutriente também pode ser observada pelo aspecto amarelado que aparece entre as nervuras das folhas.

Essa coloração se deve à inibição severa no transporte de sacarose para fora das folhas devido à baixa presença do nutriente. Como resultado, ocorre um grande acúmulo de sacarose nas folhas, dando origem ao aspecto amarelado.

A deficiência de magnésio é um grande fator limitante para o sucesso da lavoura, uma vez que pode resultar em redução do crescimento, inibição da floração, morte prematura das folhas, degeneração de frutos, dentre outros problemas.

A adubação foliar não é uma prática recomendada para a correção da deficiência de magnésio, uma vez que seriam necessárias muitas pulverizações para um pequeno aumento do teor de Mg no tecido vegetal.

Conheça o Isofertil Force Mg

A aplicação de insumos de alta qualidade é a melhor maneira de corrigir a deficiência nutricional de Mg nos solos do cerrado ou em qualquer tipo de solo. Com o intuito de maximizar a produtividade agrícola, a TMF desenvolve fertilizantes com tecnologia exclusiva e alta eficácia.

O Isofertil Force Mg foi desenvolvido, especialmente, para fornecer os teores ideais de Mg aos solos agrícolas. Com alta concentração de Mg e maior solubilidade no perfil do solo, o fertilizante possui ação imediata na fertilidade e oferece liberação gradual do nutriente durante todo o ciclo produtivo das culturas.

Dentre seus principais benefícios do produto, podemos destacar:

  • Aumento de produtividade;
  • Aumento da fertilidade natural do solo;
  • Facilidade de aplicação (Granulado);
  • Menor investimento com retorno rápido;
  • Maior crescimento do sistema radicular;
  • Diminui a atividade do alumínio;
  • Manutenção do pH no perfil do solo;
  • Disponibilidade do fósforo retido no solo (Si);
  • Equilíbrio nutricional da fertilidade em profundidade.

Quer contar com todos esses benefícios e garantir mais produtividade para sua lavoura? Faça sua cotação conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros Artigos