Nutrição do café: a chave para alta qualidade e produtividade dos grãos

nutrição do café

A nutrição do café, assim como de diferentes culturas, é um dos requisitos mais importantes para que as plantas possam expressar todo o seu potencial produtivo de maneira saudável e rentável. Buscar novas práticas, técnicas de manejo e insumos que favoreçam a nutrição é um ponto que deve ser observado por todos os produtores que desejam conquistar maior competitividade e lucratividade com a produção de café.

Por mais que ainda seja um desafio, o aumento da qualidade e produtividade dos grãos assegura aos cafeicultores maior renda e torna a produção agrícola mais sustentável. Para isso, é preciso dar uma atenção especial à etapa de nutrição do café, uma vez que ela está diretamente ligada à qualidade e volume de produção dos grãos.

O cenário da produção de café no Brasil

O Brasil é responsável pela produção de um terço do café produzido em todo o mundo e considerado o maior exportador mundial do grão. Segundo dados da CONAB, a produtividade média dos cafezais brasileiros situa-se em 25 sacas/hectare, mas é possível encontrar lavouras nas quais a colheita chega a superar 50 sacas/hectare.

Essa diferença de produtividade é um forte indício de que há espaço para buscar boas práticas adotadas em lavouras de alta produtividade. Além das novas tecnologias e sistemas de manejo, o aumento da produtividade também está relacionado ao uso mais eficiente de insumos, principalmente de fertilizantes que oferecem uma excelente nutrição para o cafeeiro.

As particularidades nutricionais do cafeeiro

O café é uma cultura que demanda grande quantidade e variedade de nutrientes para obter seu pleno desenvolvimento. Na primeira fase do seu ciclo, a maior parte dos nutrientes é destinado à sua formação, ou seja, ao crescimento das raízes, tronco, ramos e folhas. A fase seguinte, caracterizada pela frutificação, também passa a consumir grande parte dos nutrientes disponíveis.

Durante o pleno regime de produção, a maior porcentagem dos nutrientes absorvidos ainda é destinada à frutificação e outra parte é consumida na formação de ramos e folhas novas. Isso demonstra que o cafeeiro necessita de grande exportação de nutrientes do solo, o que exige demanda adequada de corretivos e fertilizantes para alcançar altas produtividades.

Como o nitrogênio (N) é o mais necessário em se tratando da nutrição de café, o manejo deste nutriente deve ser aperfeiçoado, visando aumentar sua disponibilidade no solo de maneira adequada. Para determinar a dose de N-fertilizantes, é recomendado avaliar os créditos de N nos cafezais.

O conceito de créditos de N afirma que a matéria orgânica atende parte da demanda do cafeeiro por nitrogênio, o que ajuda a evitar a aplicação de super doses de adubos nitrogenados, promovendo ganhos para o meio ambiente e para o produtor.

Além disso, é preciso dar ênfase a dois nutrientes relegados a segundo plano na adubação: o enxofre (S) e o magnésio (Mg). O Mg, especialmente, possui um papel estrutural como átomo central da molécula de clorofila, ou seja, é essencial para o processo de fotossíntese. Também é um ativador enzimático, regulador do pH celular, contribui com a síntese de proteínas e ainda facilita a absorção de fósforo (P) pela planta.

A importância da adubação adequada

A nutrição do café sempre deve passar por uma adubação adequada que ofereça todos os nutrientes necessários ao desenvolvimento da cultura. A necessidade e quantidade de adubação começa com a análise do solo, devendo ser feita da seguinte forma:

  1. a) Freqüência e profundidade da amostra:
  • Anual: 0-20 cm, no meio da faixa adubada
  • Bianual: 0-20 cm e 20-40 cm, no meio da faixa adubada.
  1. b) Época de amostragem: abril/maio (antes da colheita ou da arruação).
  1. c) Número de amostras: uma (1) amostra composta de, no mínimo, 10 sub-amostras, para qualquer gleba homogênea de até 50 hectares.

É preciso ressaltar que a análise do solo é somente a etapa inicial. Como o cafeeiro que gera supersafras possui raízes no subsolo, outras técnicas também devem ser adotadas para aumentar a absorção de água e nutrientes pela planta.

TMF Fertilizantes ajuda a otimizar a nutrição do café

Com tecnologia exclusiva e fertilizantes de múltipla ação, os produtos da TMF oferecem uma adubação adequada para alcançar altas produtividade. Para atingir esse objetivo, temos fertilizantes específicos contendo Cálcio, Magnésio, Enxofre, Silício e Boro para atender às necessidades nutricionais de diferentes culturas, como o cafeeiro.

Além disso, desenvolvemos o TMF Force Café, um fertilizante que alia a tecnologia exclusiva TMF à base de Cálcio e Silício com macro nutrientes essenciais para um bom desenvolvimento do café.

Algumas vantagens dos nossos fertilizantes incluem:

  • ação imediata no solo;
  • potencialização da absorção dos nutrientes essenciais (NPK);
  • reequilíbrio químico, físico e biológico do solo;
  • melhoria do sistema radicular da planta;
  • fortalecimento da estrutura física da planta;
  • melhora a formação de ramos;
  • melhora a eficiência no pegamento da florada
  • dentre outros.

 

Conheça nossos produtos e solicite um orçamento sem compromisso.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros Artigos