2021: o ano para se investir no cultivo de frutas e vegetais

cultivo de frutas

Apesar de o Brasil ser um grande produtor de cana-de-açúcar e grãos, o cultivo de frutas e vegetais vem ganhando um espaço cada vez maior na agricultura brasileira. Nosso país já é o terceiro maior produtor mundial de frutas, com 42 milhões de toneladas produzidas anualmente.

Devido à diversidade de climas e solos, o Brasil possui condições ecológicas favoráveis para a produção de vegetais e frutas de ótima qualidade, com uma variedade de espécies que passam pelas frutas tropicais, subtropicais e temperadas.

Mesmo com boas condições de produção, as perdas no mercado interno podem chegar a 40%, sobretudo em virtude do mau uso das técnicas de manejo do solo e da planta, falta de estrutura de armazenamento, logística, embalagens inadequadas e a própria desinformação do produtor.

O cenário do cultivo de frutas e vegetais no Brasil

O cultivo de frutas e vegetais no Brasil não era considerado tão significativo até as últimas décadas, mas nos últimos anos têm mostrado um crescimento gradativo para acompanhar as novas necessidades do mercado e do consumidor.

De 2018 para 2019, o gasto médio do brasileiro com hortifrutis básicos aumentou 16%, e o ano de 2019 apresentou, de maneira geral, maior rentabilidade em produtos da horticultura, conforme observou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Universidade de São Paulo (USP).

Com um cenário mais atrativo, o setor está passando por mudanças, exigindo cada vez mais profissionalização – tanto de mão de obra quanto no uso de insumos e técnicas de manejo. O consumidor está ficando mais exigente na hora de comprar, já que se preocupa com a saudabilidade e todos os elementos ligados a ela, como forma de produção, insumos utilizados, etc.

A segurança do alimento deve ser uma questão central no cultivo de frutas e hortifrutis em geral, considerando o ponto de vista químico e biológico, além da sustentabilidade ambiental e social.

Novos canais de comercialização estão surgindo para atender a demanda dos consumidores interessados em produtos com maior qualidade e com praticidade para o consumo e preparo, como os produtos minimamente processados. Somado a isso, a redução do número de intermediários no processo tem beneficiado diretamente os produtores.

2021: Ano Internacional das Frutas e dos Vegetais

A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu que 2021 será o “Ano Internacional das Frutas e Vegetais”. A proposta central da ONU é aumentar a conscientização sobre os benefícios do consumo de frutas e hortaliças, além de promover estilos de vida diversificados, equilibrados e saudáveis, para reduzir o desperdício de alimentos, especialmente os perecíveis.

O objetivo também visa a melhoria na produção desses alimentos em todo o mundo, buscando criar oportunidades para melhorar as infraestruturas e práticas agrícolas, apoiando, assim, os pequenos agricultores. Sob o ponto de vista dos agricultores, o cultivo de frutas e vegetais é uma boa forma de melhorar a sua rentabilidade.

Além disso, a ONU também incentiva o uso de tecnologias e abordagens inovadoras na tentativa de minimizar perdas e desperdícios alimentares no setor das frutas e vegetais, já que este continua a ser um problema com consequências consideráveis. Nesse sentido, novas práticas podem ajudar a manter a segurança e a qualidade, aumentando o prazo de validade dos produtos frescos e preservando o seu elevado valor nutricional.

Cuidados com adubação e fertilização

As plantas frutíferas exploram grandes volumes de solo e se diferenciam das plantas anuais pois apresentam estruturas que podem armazenar nutrientes de um ano para outro, como raízes, caule, ramos e folhas.

É importante conhecer os métodos de fertilização antes do plantio e durante a formação e desenvolvimento das plantas frutíferas, bem como a distribuição dos fertilizantes na área da lavoura.

Antes do plantio

Com base na análise do solo, os fertilizantes devem ser aplicados em uma profundidade de 0 a 40 cm. Deve-se utilizar lavrações profundas ou subsolagem para que os nutrientes possam ser bem distribuídos horizontal e verticalmente. A adubação de base pode ser aplicada em toda a área, na faixa de plantio ou em covas. Se os fertilizantes forem aplicados em toda a área, não é necessário realizá-la nas covas de plantio.

Formação e produção das plantas

Durante a formação e desenvolvimento das plantas, deve-se considerar que a ação de cada nutriente depende da quantidade dos outros nutrientes com os quais, direta ou indiretamente, irá se combinar. Nessas fases, basicamente, a fertilização é feita somente com o nitrogênio, mas a necessidade de fertilização deve levar em conta os seguintes fatores:

  • experiência regional;
  • resultados experimentais;
  • comportamento das plantas;
  • análise de solo, folha e frutas;
  • exportação de nutrientes;
  • previsão de safra e produção do ano anterior.

Distribuição dos fertilizantes

Existem diferentes maneiras de aplicar os fertilizantes para o cultivo de frutas e vegetais. Conheça os principais métodos de aplicação:

Distribuição a lanço: os fertilizantes são aplicados na superfície do solo, podendo ou não serem incorporados através de implementos ou capinas. É o sistema mais utilizado.

Distribuição em sulcos: nesse método, abrem-se sulcos ao longo das filas onde são lançados os fertilizantes, que são cobertos posteriormente.

Aplicação em profundidade: os fertilizantes podem ser aplicados em profundidades de 40 a 50 cm, sendo injetados sob pressão com sulcadores ou outros equipamentos.

Em covas: são abertas covas na projeção da copa da planta onde são colocados os fertilizantes e, em seguida, a cova é coberta.

 

Quer garantir os melhores fertilizantes para o cultivo de frutas e vegetais? Conheça a Tecnologia TMF e aumente a qualidade e produtividade de sua lavoura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros Artigos